Consumo exagerado

large (52)

   Eu te consumo aos poucos, e você nem nota. Eu rondo por horas,  e nem sente. Ah se soubesse, com qual olhos o vejo, talvez se demorasse mais a me analisar. De modo que não visse a menina inocente, se ouvisse o que ela diz. É somente a escolha de não subestimar outro ser.

   Passam-se anos, e ainda que nada mude, muitas histórias seguem se desenrolando, pois sempre fica, algum nó pra desatar, algo para descobrir, qualquer coisa, que tome tempo. E tenho em mim o prazer mórbido de registrar cada infortúnio, guardando  como um diário a desventura de cada um.

   Confusão de idéias, sequência de acontecimentos, assim se molda o livro. Ligue cada linha, obtenha informações, desvenda-me, se for capaz. Adianto-lhe apenas a indiferença que corre em mim senhor, quando ciumes me fervem o sangue. Ademais, compreenda, seria incomodo oferecer qualquer outra explicação.

Tayná Bravin

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s