Manhãs de Chuva

Usada (12)

     Sei que hoje é um dia de chuva, mas por favor, não escreva uma longa e criteriosa dissertação sobre ela, sei que á beleza nisto, mas é clichê demais para o meu bom gosto, hoje não, perdoa-me a indelicadeza e não me jogue outra vez na melancolia. Peço apenas, a paz deste dia calmo, o silencio quebrado apenas pelo barulho da chuva no telhado, não quero, de forma alguma, entender o seu significado oculto, não quero conhecer as lembranças que ela te traz, e não, não quero entender a vida e qualquer significado que ela tenha.

     Chove lá fora, minha mente vaga, pensando no tudo e em nada, uma xícara de chá, um livro de cabeceira, por hoje, juro, isso me basta.

  Permaneço até mais tarde na cama, afinal, ninguém cumpre mesmo um compromisso em dia de chuva, fico nesta cama quente, mais confortável que nunca, após uma noite bem dormida, aconchego-me nela e ignoro, que estou completamente sozinha, pois nunca estive tão em paz. Sabe, é sempre bom estar em sua companhia, mas hoje, fico grata por este silêncio. 

Tayná Bravin

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s